De CIO a CEO: diretor de TI deve trabalhar credibilidade pela entrega.

Mais que trabalhar a tecnologia como negócio, executivos que saltaram da diretoria de tecnologia para a presidência da empresa falam sobre desempenho com foco em entrega.


Dorival Dourado, presidente da Boa Vista Serviços, e Flavio Jansen, CEO da Locaweb, são dois executivos que chegaram ao cargo máximo de uma companhia, ambos com origem na TI. Apesar de tanto Dourado quanto Jansen reconhecerem que a trajetória não foi planejada, ambos destacam que, em um determinado ponto de suas carreiras, a leitura do ambiente corporativo mostrou que sim, um líder de tecnologia é apto para assumir um cargo administrativo.


“A tecnologia está entre o negócio como um todo, e você tem que olhar a área mesmo como um negócio. Isso no sentido de trabalhar sua credibilidade, transparência. Se não é possível realizar um projeto, seja claro e aprenda a dizer não. Porém, quando aceitar, seja claro com a entrega e cumpra o prazo”, explicou o presidente da Boa Vista Serviços. Para ele, com formação em engenharia, o caminho à computação veio por aconselhamento de um professor. Desde então, as coisas foram acontecendo naturalmente, sem planejamento específico sobre os rumos de sua posição.


“Quando você planeja demais sua carreira você perde a percepção do que acontece à sua volta, e deixa de se aplicar naquilo que é mais importante. Seu objetivo se torna tão obcecado e você deixa de dar atenção ao negócio, à TI”, contou Dourado durante o IT Forum Expo/Black Hat 2013. Ele sempre orientou suas atividades para a comunicação com outras áreas e a TI como serviço.

E a dificuldade inicial é a comunicação. O CIO fala palavras difíceis, normalmente está desalinhado com objetivos da empresa e se envolve demais com questões tecnológicas.


O principal prejuízo é sua carreira, pois deixa de entregar o necessário. “Quando o CIO desempenha seu papel pensando na TI como negócio e a entrega, ele tem a maior oportunidade da empresa em se tornar presidente porque ele consegue conhecer os meandros do negócio”, explica Jansen.


No caso do líder da Locaweb, o executivo possuía experiências administrativas e financeiras na Mandic e também quando estava no Submarino, antes de a companhia ter um forte crescimento. Ao fim de 2002, quando o CEO até então deixou o cargo, seu caminho foi natural. “Naquele tempo, nem se falava tanto em planejamento de carreira. Hoje, isso é mais comum e frequente se preparar para desafios maiores”, relembra.


Para Jansen, o fundamental para o CIO que almeja crescimento e novos horizontes é buscar disposição fora da área de tecnologia, em outras especialidades. A maneira com a qual o executivo constrói suas habilidades, aprendendo a lidar com gestão de pessoas e de negócio, é fundamental para somar competências ao papel de diretor de TI.


“Eu vivi uma transição muito forte, de quando o máximo esperado para alguém de TI era alcançar uma diretoria, para a TI ligada aos negócios”, contou Jansen. Ele também valoriza muito a entrega de projetos, pela qual é construído o desempenho do executivo. “E não pense que quando você chega a CEO a entrega termina. Aí começa outra – você tem que entregar também, mas outros parâmetros de negócio”, finaliza.


*Artigo Gabriela Stripoli para o portal InformationWeek Brasil.

Crédito da imagem: Wix.

#cio #gestão #metodologias #alinhamento #líderes #produtividade

Posts em destaque
Posts recentes
Pesquisa por tags
Nenhum tag.
Compartilhe
  • Facebook Classic
  • Twitter Classic
  • LinkedIn App Icon