CIO: abrace o digital e seja parceiro do negócio

Para quem tem o cargo responsável pela vital tarefa de implementar tecnologia que direciona o crescimento do negócio, o CIO é surpreendentemente pouco respeitado. Apelidos maldosos, como “Chief Idiot Office”, começam a surgir sempre que um CIO passa muito tempo como gerente de um centro de gastos em vez de um produtor de renda. O CIO de 2013 deve se manter no centro da ruptura digital causada por mídias sociais e ferramentas móveis, serviços de nuvem e análises de dados e também deve mudar para sobreviver.

O maior teste será se os CIOs conseguirão abraçar essas tecnologias digitalmente desafiadoras e se adaptar ao fato de que a TI irá deixar de ser uma unidade centralizada e se tornar distribuída por outros departamentos, como marketing, financeiro, vendas e produção.

Durante o CIO Forum, em junho, analistas da Forrester argumentaram que nos próximos sete anos, o departamento de TI como conhecemos hoje terá desaparecido e um modelo decentralizado irá assumir seu lugar.

No entanto, o analista e vice-presidente sênior da Forrester, Christopher Mines, enfatizou em um e-mail que os serviços de nuvem e a consumerização da TI não são as principais causas da TI descentralizada. A ruptura acontecerá, principalmente, porque a tecnologia se tornou importante em todas as partes de uma empresa e as unidades do negócio exigem participar das decisões que se referem à tecnologia.


“Executivos que entrevistamos nos disseram que ‘tecnologia é importante demais para ficar nas mãos dos tecnólogos’”, contou Mines. “Os líderes dos negócios querem ter participação ativa e orçamento para as tecnologias”.

A implicação para o CIO é a perda do controle conforme o departamento de TI é fragmentado. A melhor resposta, de acordo com Mines, é fortalecer o relacionamento com o negócio e se tornar um conselheiro confiável sobre questões como interoperabilidade, padrões de arquitetura, segurança e gerenciamento de dados. “São pontos em que os líderes do negócio provavelmente não irão focar, e que vão cair nas mãos da TI de qualquer forma”, disse Mines. “É melhor lidar com essas questões o quanto antes”.


Um artigo de Agosto da Wired.com, afirma que os departamentos de TI irão, inevitavelmente, se fragmentar devido ao crescente uso de aplicativos SaaS específicos para cada departamento. Os CIOs serão, então, julgados sobre a forma como se mantêm à frente da curva tecnológica e trabalham com outros departamentos. “Muitos CIOs ainda não compreendem o mundo digital. Não veremos muitos deles daqui cinco anos”.


Os CIOs que têm alguma chance em 2020, disse ele, são os que estão focando em engajamento com cliente agora e na distribuição de orçamento para ferramentas sociais e móveis e análise de dados. CIOs com a mentalidade digital têm melhores previsões usando análises.

O lado positivo aqui é que novas ferramentas que permitem o engajamento com cliente e análise de dados apenas tornam o software mais essencial para a “marca” da empresa e para a forma como ela é vista por clientes e funcionários, que continuam utilizando a web, mídias sociais e aplicativos móveis para trabalhar, de acordo com a Forrester.


Neste contexto, o CIO mais sagaz pode crescer como um maestro de orquestra de serviços de nuvem e inovação social e móvel. Mas, antes disso, os CIOs devem analisar bem as habilidades que faltam em suas equipes.


“Estou mais preocupado com o que acontece com os funcionários de TI do que com o CIO”, disse o VP e analista da Forrester, John McCarthy. “Os CIOs irão precisar mais profissionais que estejam na mesma curva da intersecção do móvel, social e análise de dados do que de engenheiros de rede”. “Contrate alguns cientistas de dados”, acrescentou Mines, da Forrester.


Uma pesquisa realizada pela InformationWeek EUA mostrou que muitos CIOs estão se preparando. De acordo com a pesquisa Global CIO 2013, sobre tendências e preocupações de TI, a colaboração com outros departamentos e a preparação para novas tecnologias, assim como o investimento nelas, são prioridade (118 executivos de TI em empresas com 100 ou mais funcionários foram entrevistados em fevereiro de 2013).


- Quando perguntados sobre as principais áreas em que eles focam tempo, 33% dos entrevistados responderam “Aprendendo sobre a nova onda de tecnologias”.

- De forma similar, quando perguntados sobre o que representa a principal oportunidade para CIOs hoje, as duas respostas mais dadas foram “Uso de dados do negócio/clientes para influenciar novos produtos e serviços e gerar crescimento” e “Levar a empresa para mais perto dos clientes por meio da tecnologia”.

- Os entrevistados citaram a web e os aplicativos móveis como as duas plataformas mais importantes para criar laços mais fortes com clientes externos.

- A grande maioria dos entrevistados disse que a colaboração com departamentos de atendimento ao cliente, financeiro, operações/manufatura e marketing é boa ou excelente.


No mundo real, existem diversos exemplos de CIOs usando ferramentas móveis, sociais ou de análise de dados e trabalhando com outros departamentos para solucionar problemas do negócio. É claro que não vivemos na utopia de que executivos de negócios e TI se entendem e os CIOs são satisfeitos com seu orçamento. Mas os resultados da pesquisa e os vencedores da InformationWeek 500 indicam que os CIOs estão trabalhando para se adaptar à nova ordem.


*Artigo de Shane O’Neill para o portal InformationWeek EUA.

*Crédito da imagem: Wix.

#cio #líderes #negócios #digital

Posts em destaque
Posts recentes
Pesquisa por tags
Nenhum tag.
Compartilhe
  • Facebook Classic
  • Twitter Classic
  • LinkedIn App Icon